Home Categorias do Site Geral A confirmação de Amy Coney Barrett é uma vitória conservadora histórica e...

A confirmação de Amy Coney Barrett é uma vitória conservadora histórica e um projeto para mais deles

Autor

Data

Categoria

A confirmação da ministra Amy Coney Barrett no Supremo Tribunal Federal é uma vitória histórica do movimento conservador e o coroamento de décadas de organização política dos conservadores sociais e judiciais.

As realizações da juíza Barrett falam por si, e todo o crédito vai para ela. Sua história de vida, sua devoção à família, seu trabalho árduo, seu intelecto, sua graça sob pressão – ela fez tudo isso sozinha. No entanto, ela não perde nada notar que teve ajuda, e é importante entender a natureza dessa ajuda com o objetivo de replicar essa ajuda em ainda mais áreas. Como veremos, Barrett tinha uma equipe eficaz ao seu redor. E como dizem os treinadores inteligentes: “Não existe ‘eu’ na equipe”.

Na verdade, quando pensamos nas equipes fazendo as coisas acontecerem, devemos lembrar que, há mais de dois séculos, acredita-se que o Duque de Wellington tenha dito sobre sua grande vitória sobre Napoleão em 1815: “A batalha de Waterloo foi vencida no jogo campos de Eton. ” Ou seja, as competições esportivas masculinas no Eton College da Inglaterra – do qual Wellington, então Arthur Wellesley, participaram – ensinaram desde cedo a muitos oficiais britânicos o significado do jogo em equipe, do propósito comum e da disciplina, e tais características eram tão importantes para uma unidade militar como para uma equipe esportiva.

O “Duque de Ferro” era um comandante brilhante e, no entanto, era tão bom quanto o exército abaixo dele. E o mesmo pode ser dito do ACB.

Então, vamos dar uma olhada no “exército” de Barrett, começando com alguns dos “oficiais” ao seu redor. Podemos começar com a Federalist Society, um grupo jurídico fundado em 1982, do qual Barrett é um membro de longa data.

Por quatro décadas, a Sociedade Federalista tem organizado e realizado seminários de centro-direita, conferências e outras atividades para estudantes de direito e advogados conservadores. Esses programas, bem como os esforços associados voltados para a construção da comunidade e o refinamento do pensamento conservador, tornaram-se uma abordagem de amplo espectro para o lançamento de carreiras de políticas públicas, desde colocações em cargos judiciais, promoção de livros e alocação de indicados judiciais

A Sociedade Federalista não é uma cabala secreta. Tem um site transparentee incentiva participantes curiosos e novos membros. Ele simplesmente serve como uma câmara de compensação de alto nível para mentes conservadoras que ajuda a avaliar o talento jurídico e o potencial futuro, especialmente para juízes.

A necessidade de uma avaliação precisa do potencial conservador tornou-se clara após o desastre da nomeação de David Souter para a Suprema Corte de George HW Bush em 1990. Souter era um republicano, embora sem nenhuma ideologia particular; Bush 41 foi persuadido a indicá-lo com base na recomendação pessoal de John Sununu, um não advogado de sua equipe na Casa Branca. Infelizmente, uma vez confirmado, Souter revelou-se um forte liberal durante suas duas décadas no tribunal superior. “Chega de Souters!” é um pensamento comum entre os federalistas.

Desde Souter, a Federalist Society se tornou o lugar certo para identificar juízes para administrações republicanas, e isso se tornou especialmente verdadeiro para a administração Trump. Os federalistas ajudaram na verificação de centenas de escolhas judiciais de Trump, incluindo Brett Kavanaugh, que foi confirmado para a Suprema Corte em 2018.

Como podemos ver, os federalistas são simplesmente mais um par de olhos bem informados ajudando no processo. Conforme determina a Constituição, é o presidente quem de fato escolhe o juiz, e o Senado quem realmente aconselha e consente ou não.

Graças aos esforços combinados do presidente Trump e do líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, os conservadores obtiveram centenas de sucessos judiciais nos últimos quatro anos, culminando agora com a confirmação de Barrett.

Dois anos atrás, durante a luta de confirmação de Kavanaugh, o New York Times‘colunista um tanto à direita do centro David Brooks explicou como esse processo estava funcionando e como funcionou tão bem:

Kavanaugh é o produto de uma comunidade. Ele é o produto de uma infraestrutura legal conservadora que desenvolve ideias, recruta talentos, conecta estrelas em ascensão, nutre gênios, molda e lança nomeados judiciais. Quase não importa qual republicano é o presidente. A infraestrutura legal conservadora é a entidade que conduz todo o projeto. Quase não importa se Kavanaugh for confirmado ou abatido; há dezenas de outras que podem preencher a vaga, tão inteligentes e conservadoras.

Sim, é assim que se faz. A Sociedade Federalista tornou mais fácil para Trump apenas para escolher candidatos judiciais fortes, por assim dizer, “da prateleira”.

Podemos dizer que a Federalist Society é o equivalente americano dos “campos de jogo de Eton” – o lugar onde jovens advogados praticam seu ofício e testam seu pensamento jurídico. Ou, para colocar a questão em termos puramente americanos, os federalistas têm ajudado a operar o equivalente legal do sistema de times de fazenda de beisebol. Veja como Brooks o descreveu:

Esta comunidade não simplesmente aconteceu; foi construído de forma autoconsciente. Se você quer entender como mudar permanentemente o cenário político, é uma boa ideia estudar e se inspirar em como isso foi feito.

Brooks acrescentou ainda que o sistema federalista era um modelo que poderia ser aplicado a outros campos, além da lei:

É uma lição para todos. Se você enfatizar a excelência profissional primeiro, se ganhar uma posição nas principais instituições da sociedade, se construir um grupo coeso de irmãos e irmãs, poderá transformar a paisagem de seu campo.

Sim, essa ideia de construir um sistema de equipe agrícola para direcionar talentos para cima se aplica a muitos outros campos além da lei – e em ambos os lados do corredor partidário.

Na verdade, não acontece muita coisa em Washington sem a criação, primeiro, de uma “escola de pensamento”. Uma escola de pensamento emerge de uma rede de almas que pensam da mesma forma, todas reunidas em torno de um princípio unificador ou uma causa.

Por exemplo, à esquerda, os ambientalistas têm uma escola de pensamento – ou talvez mais de uma – assim como as feministas, as progressistas, bem como, é claro, os tipos jurídicos de esquerda. (O advogado de esquerda, é claro, tem o benefício das grandes faculdades de direito, muitas das quais fazem o trabalho de se opor ao conservadorismo de tipo federalista como parte de seu currículo básico.)

Em cada caso, a escola de pensamento, para ser eficaz, constrói um sistema que pode atrair simpatizantes e transformá-los em quadros, aprimorando-os, fornecendo-lhes credenciais e ajudando-os a fazer conexões sociais e profissionais. Então, o objetivo é contratá-los para posições de influência.

Esses sistemas são baseados em um axioma conhecido por mãos de Washington: “Pessoal é política.” Uma prova desse conceito veio na década de 1930, quando o New Deal do presidente Franklin D. Roosevelt transformou a vida americana. E essa transformação ocorreu em grande parte porque os New Dealers sabiam exatamente o que fazer ao chegar a uma agência governamental. Ou seja, eles leram a literatura, estavam familiarizados com o povo e, portanto, sabiam como fazer avançar a agenda de FDR.

Como um importante New Dealer, Tommy Corcoran, explicou ao historiador Arthur Schlesinger:

O que é um governo? . . . Não é apenas o homem principal ou os dez homens principais. Um governo são os cem ou duzentos homens mais importantes. O que realmente faz a diferença é o que acontece na linha antes – e depois – das grandes decisões serem tomadas.

Esse é o poder de uma escola de pensamento. Portanto, essa é uma lição para quem deseja fazer mudanças em Washington: é vital ter uma escola que pode ser tão útil para uma causa quanto a Sociedade Federalista tem sido útil para a causa escolhida. Portanto, se fôssemos olhar para os lugares onde a política de administração de Trump falhou – e podemos citar os cuidados de saúde e a infraestrutura para começar – podemos ver com pesar a ausência de uma escola de pensamento conservadora robusta.

Portanto, a construção de mais escolas desse tipo é uma missão importante, não importa quem ganhe as eleições em novembro.

Devemos também observar, é claro, que ACB teve soldados de infantaria, bem como oficiais. Ou seja, milhões de pessoas que nunca tinham ouvido falar dela até um mês atrás foram imediatamente atraídas por ela e por sua história. E embora essas pessoas de base não tenham desempenhado nenhum papel no posicionamento de Barrett para sua indicação à Suprema Corte, eles estavam torcendo por ela assim que sua indicação foi anunciada.

Essa onda popular de apoio logo se manifestou nas pesquisas de opinião pública. Em setembro, uma pesquisa descobriu que apenas 37 por cento dos americanos apoiaram sua nomeação, enquanto 34% se opuseram. No entanto, agora, na sequência de suas audiências triunfantes no Senado, o apoio da ACB aumentou para 51 por cento, enquanto a oposição tem realmente caído seis pontos. Podemos observar que nesse clima polarizado, quando opiniões opostas estão profundamente arraigadas, qualquer movimento positivo nas pesquisas é uma prova de seu grande e crescente apelo. E isso tornou mais fácil para os cautelosos senadores republicanos apoiá-la.

Os louros desta vitória vão para Amy Coney Barrett, e com razão. Mas aqueles que desejam ver mais ACBs em vestes judiciais – e mais conservadores verdadeiros ao longo das torres de vigia da direita – devem estudar o planejamento que foi usado para alcançar essa vitória. Como vimos, os planos remontam a décadas.

É assim que a política funciona, é assim que a política é moldada e é assim que a história é feita.

Fonte: http://feedproxy.google.com/~r/breitbart/~3/69nsNa-f0LA/

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Artigos recentes

Bebê morre afogado em batismo da Igreja Católica Ortodoxa

Contando com cerca de 250 milhões de fiéis no mundo, presentes principalmente na Europa Oriental, em países como Rússia, Romênia e Ucrânia, a Igreja...

Governo do Reino Unido está pensando em bater nas portas de vacinas de refusniks

O governo do Reino Unido está considerando um plano para enviar funcionários do conselho para bater nas portas daqueles que se recusaram a tomar...

Rompendo com a tradição católica, o papa indica a primeira mulher para um cargo sênior

CIDADE DO VATICANO, Santa Sé - O Papa Francisco rompeu com a tradição católica ao nomear uma mulher como subsecretária do sínodo dos bispos,...

Vacinação desacelerou em 50%, lamenta oficial, culpando ‘notícias falsas’ online

Mesmo que as vacinas estejam agora sendo oferecidas a todos os israelenses com mais de 16 anos, o ritmo das vacinações diminuiu drasticamente, disse...

‘Devíamos nos teletransportar, não dirigir’, diz Zuckerberg

O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, acredita que o gigante da mídia social está prestes a transformar a maneira como as pessoas...